28 de outubro de 2021

Dicas para manter o carro sempre com cara de novo

De atitudes simples ao volante à atenção na hora de lavá-lo, siga as regrinhas básicas de cuidados com o automóvel para evitar que ele envelheça com o passar dos anos.

O tempo é infalível para quem tem uma relação duradoura com o seu carro. As marcas de uso aparecem na lataria, no revestimento interno e, principalmente, no motor. Isso, aliado à falta de zelo na conservação e na manutenção, pode virar uma dor de cabeça para o proprietário e pesar no bolso, além de desvalorizar o veículo numa futura revenda.

Mas calma. Existem alguns cuidados que atenuam o desgaste natural e conseguem manter o automóvel com ar de novo por muito mais tempo. Assim, o motorista poderá curti-lo melhor e aumentar as chances de uma boa negociação na hora de passar adiante.

Listamos 10 dicas preciosas para preservar a saúde e o visual do veículo, que vão desde a forma de dirigir até a atenção na hora de lavá-lo.

1. Saia do vermelho

Sabe aquela faixa vermelha em destaque no fim do conta-giros, geralmente a partir das 6.500 rpm? Não está ali por uma mera questão estética. Significa que, se o ponteiro alcançá-la, estará ultrapassando o limite de rotação, podendo causar sérios danos ao propulsor. Então, evite acelerar até lá apenas pela satisfação de ouvir o motor gritar!

O advento da injeção eletrônica criou o chamado “corte de giro”, que acontece no meio da faixa vermelha. Nessa hora, o módulo do motor corta o fornecimento de combustível, a ignição ou mesmo as duas coisas, para proteger os componentes antes que o pior aconteça.

E ainda tem gente que gosta de colocar no ponto morto em alta velocidade, achando que estará economizando combustível. Além de causar um efeito contrário, a atitude desativa o freio motor e, na hora de engatar novamente, dependendo da posição da marcha e da velocidade do carro, o giro pode subir bruscamente até a faixa vermelha.

2. Calibragem em dia

É a dica que está em todas as listas quando o assunto é cuidar do carro. Isso mostra a importância de calibrar os pneus toda semana, se possível, para manter a pressão sempre no nível ideal.
Caso contrário, pode ocasionar deterioração precoce de todo o sistema de rodagem, como amortecedores, molas e, bandejas de suspensão.
Além disso, se estiverem acima ou abaixo da calibragem recomendada pela fabricante, eles perderão a performance estabelecida para sua composição, além de tornar o veículo mais gastão.

3. Tire a mão daí

Atire a primeira pedra quem nunca colocou a mão direita sobre a alavanca de câmbio só esperando a próxima troca! É um vício presente em praticamente 9 de 10 motoristas que dirigem com transmissão manual.

Isso pode ser até confortável, mas o desconforto virá na hora de encostar o carro no mecânico. O peso da mão força o mecanismo do conjunto, causando um atrito extra às peças e, consequentemente, o desgaste das engrenagens e anéis sincronizadores. Com o tempo o resultado é a dificuldade nas trocas, que passam a enroscar, e o surgimento de barulho.

4. Fuja do cocô de passarinho

Evite deixar fezes de pássaros no carro por dias, esperando a próxima lavagem para retirá-las. Além de serem nojentas e de agredirem o visual, elas podem manchar a lataria caso não sejam removidas rapidamente.

Se o estrago já estiver feito, não tente remover em casa com gasolina, tíner ou algo do gênero. O ideal é levar o veículo para uma oficina especializada.

O melhor mesmo é não estacionar embaixo de árvores para o veículo não virar um alvo em potencial. Também é importante certificar-se de que não ficará debaixo de uma goteira de cimento ou próximo a um serviço de pintura.

5. Banho com carinho

Manter o carro sempre com aparência de novo requer cuidados na aplicação dos produtos. Não use componentes químicos agressivos, como querosene. Isso detona a pintura. O indicado é detergente ou sabão neutro, sempre acompanhados de acessórios apropriados, como luvas ou panos de microfibra.

Ao levar no lava- jato, veja se o funcionário começa pelo teto. Se não, peça que faça isso. Caso inicie por baixo, a bucha ou o pano podem pegar terra respingada das rodas, o que provavelmente irá riscar a lataria.

Se optar pela limpeza a seco, saiba que o serviço costuma usar esfregões enormes, que podem prejudicar a pintura e até a lataria.

Automóvel exposto ao sol e à chuva com frequência necessita de um enceramento a cada três meses, pelo menos.

Confira alguns vilões da lavagem:

• uso de flanelas;
• uso de detergente de cozinha;
• passar cera excessivamente e sem técnica;
• esfregar o carro sem jogar água;
• secar o veículo no sol.

6. Escove os faróis

Com o passar dos anos, as lentes dos faróis tendem a ficar um pouco amarelas por causa da oxidação. Não se preocupe em trocá-las. Há uma técnica caseira que costuma trazer bons resultados: use uma esponja e uma pasta de dente para clarear o vidro.
Também é possível usar detergente, bicarbonato de sódio e vinagre para clarear as lentes.

7. Arrume qualquer batidinha para evitar ferrugem

Qualquer motorista, por mais cuidadoso que seja, está sempre sujeito a pequenas batidinhas, seja na hora de estacionar ou devido a uma desatenção no trânsito.

E aí fica aquele pequeno amassado. Além de comprometer o lado estético, não reparar o dano o mais breve possível pode ocasionar uma ferrugem no local, deixando o visual ainda pior.

8. Cuidado com a insolação

Há regiões no país nas quais a incidência do sol é muito grande. E nem sempre existe uma vaguinha coberta para estacionar.
Pois saiba que os raios solares desgastam muito a pintura, acelerando o processo de envelhecimento dos plásticos e da pintura, assim como ocorre com a pele humana.
Se o veículo é branco, ele fica amarelo; se é vermelho, fica rosado; se é preto, acaba desbotado.
Em paradas longas, encontre uma sombra sempre que possível. Lembrando-se de evitar estacionar embaixo de árvores para fugir do cocô de pássaros.

9. Check-up frequente

Outra dica padrão para quem se preocupa com o automóvel, a revisão periódica confere se está tudo em ordem com a saúde do veículo. É só seguir o manual do veículo e tudo ficará bem com os sistemas de lubrificação e refrigeração, com as velas, correia dentada e filtros, entre outros itens.

10. Trate bem o seu carro

Só que nenhuma das dicas anteriores podem ajudar a manter o seu carro novo se você não tratá-lo bem no dia a dia. Isso significa conduzi-lo sempre com precaução.
Entre os cuidados estão o de evitar pisar bruscamente na embreagem, passar de lado nas lombadas, fazer esforço no volante durante as curvas, arrancar em subidas “cantando” o pneu, acelerar em demasia sem necessidade, etc.

MILITEC 1 previne desgastes e aumenta a vida útil do motor

A conservação do motor é um dos requisitos mais importantes para o estado do carro ser classificado como novo! E, além dos cuidados já citados anteriormente, uma medida que vai ajudar a manter em dia a saúde do propulsor é o uso regular de MILITEC 1. Em casos normais, a aplicação é feita a cada 20.000 km.

O produto referência no mercado automotivo tem como uma de suas funções diminuir o atrito entre as peças móveis do motor. Dessa maneira, reduz significativamente o desgaste e aumenta a vida útil dos componentes.

Além disso, o esforço será menor para colocar o veículo em movimento, resultando no consumo mais eficiente de gasolina, etanol ou diesel.

MILITEC 1 protege nas partidas a frio (momento em que não há óleo lubrificante circulando pelo motor, deixando os componentes expostos ao desgaste), impactando diretamente a preservação das peças.

E, de quebra, aumenta a potência plena do propulsor, aliando o baixo consumo com o bom desempenho.

Entenda o MILITEC 1

MILITEC 1 é o primeiro e melhor condicionador de metais, que protege o seu equipamento de verdade, porque é o único com a exclusiva tecnologia Dry Impregnated Lubrication. MILITEC 1 simplesmente usa o lubrificante como um meio para chegar às superfícies metálicas em atrito e aos pontos críticos de calor dentro do equipamento. Chegando a esses locais, MILITEC 1 sai completamente do lubrificante e as moléculas de MILITEC 1 fixam-se na superfície metálica (adsorção*). Isso ocorre entre 38º C e 66º C, dependendo das condições de atrito e carga. O efeito dessa reação enrijece a superfície metálica (não a endurece), tornando-a aproximadamente 17 vezes mais resistente quando a reação se completa. Além do aumento da resistência metálica, MILITEC 1 reduz drasticamente o atrito, melhorando o aproveitamento de energia, resultando em aumento da potência ou diminuição do consumo, além de reduzir as emissões de gases poluentes.

*Adsorção é a fixação de molécula de uma substância na superfície de outra.

2 Comentários

  1. Edgard Trentino disse:

    Olá
    Ford Trânsit vai 9 litros de óleo no motor, quanto de militec devo usar?

    0

Deixe o seu comentário!