2 de setembro de 2021

Hexacampeão de rali conta como o MILITEC 1 faz a diferença dentro e fora das competições

O baiano Roberto Cunha diz que o produto já evitou que ele tivesse prejuízos com quebras de motor e hoje protege os carros de toda a sua família

Investir na durabilidade dos componentes do motor é uma das premissas dentro do automobilismo. Afinal, o regime de rotação debaixo do capô é alto, com as peças sempre trabalhando no limite. O piloto baiano Roberto Cunha, 41 anos, sabe muito bem disso e, por essa razão, faz questão de cuidar desse detalhe a cada prova que participa.

Hexacampeão do Campeonato Brasileiro de Rally Baja 4×4, ele é consumidor do MILITEC 1 há mais de dez anos, e destaca a grande vantagem do produto em reduzir o atrito entre os itens do motor, evitando o desgaste prematuro e diminuindo o risco de quebra.

O competidor lembra até de casos em que o veículo apresentou problema na parte de lubrificação, porém, o prejuízo foi bem menor devido à atuação do produto.

“O MILITEC 1 realmente protege as peças. Houve uma situação mais séria em que não precisei trocar os principais componentes do propulsor. Com isso, o prejuízo com o atrito de ferro com ferro, que poderia ser de R$ 15 mil a R$ 20 mil, foi de apenas R$ 5 mil”, lembra o piloto, que hoje defende a equipe Rally Timão, do Sport Club Corinthians Paulista.

Ao lado do navegador Rafael Montes, ele deu o primeiro título de rali ao clube de futebol.

O piloto Roberto Cunha (à direita) e o navegador Rafael Montes são campeões brasileiros de Rally Baja 4×4. (Crédito: Roberto Nunes/Autos & Motos)

Embaixador MILITEC 1 no Nordeste

Cunha costuma levar uma carga extra de MILITEC 1 nas competições. O motivo são os inúmeros pedidos feitos por outros pilotos e integrantes das equipes. O esportista conta que orienta os colegas a procurarem um distribuidor da marca em seus estados, assim como ele fez após ouvir numa rádio de Salvador a entrevista de Anderson Matioli, representante MILITEC Brasil na Bahia e em Sergipe.

“Naquela época era difícil encontrar o produto no mercado. Conhecia a boa fama da empresa, mas tinha que trazer o fluido de fora. Agora, ele é vendido em vários lugares, de autopeças a oficinas especializadas”, ressalta o baiano, que, de cliente, acabou virando uma espécie de embaixador MILITEC Brasil no Nordeste.

Em razão de conhecer muitos profissionais e oficinas automotivas, ele acaba contribuindo para que o produto seja amplamente difundido.

“As pessoas aceitam a indicação, pois confiam na minha longa experiência com veículos e motores. Inclusive, posto vídeos nas redes sociais falando do MILITEC 1 e dos benefícios que obtenho com a utilização do produto nos meus carros”, salienta.

Carro mais econômico e menos barulhento

MILITEC Brasil é um dos patrocinadores da equipe Timão Rally, de Roberto Cunha. (Crédito: Roberto Nunes/Autos & Motos)

E não é só em veículos de competições que o MILITEC 1 está presente na vida de Roberto Cunha. Os automóveis de passeio dele, da mulher, dos pais e da sua empresa (da área da construção civil) só rodam com o produto.

“Comecei a utilizar MILITEC 1 pela fama que a marca já tinha em outras regiões. Quando você passa a usar regularmente, obedecendo às trocas a cada 20 mil km com o frasco de 200 ml, o resultado é eficiente e duradouro”, garante.

Cunha diz ainda ser perceptível os reflexos no automóvel, que fica mais econômico no gasto de combustível. “O motor também trabalha com um barulho diferente do padrão, devido ao contato mais suave entre as peças”, complementa.

Sobre o receio que muitos proprietários de carros novos têm de incluir um produto que não seja o recomendado pelo fabricante do veículo, o competidor observa que aplicar o produto desde cedo é o mais indicado para se ter a maior vida útil dos componentes e evitar as trocas prematuras das peças, situações que acabariam pesando mais no bolso.

Rally dos Sertões 2021 como chefe de equipe

Roberto Cunha chefiou a equipe Pro Rally no Rally dos Sertões 2021, que correu com um UTV Can-Am. (Crédito: Fotop/Divulgação)

No dia 23 de agosto, Roberto Cunha cumpriu mais um desafio na sua vitoriosa carreira automobilística. Ele foi chefe da Equipe Pro Rally/ Corinthians no Rally dos Sertões 2021, o maior rali das Américas. A disputa aconteceu cem por cento no Nordeste, com passagens em sete dos nove estados da região.

A largada foi no Rio Grande do Norte e a chegada, em Pernambuco, com trechos também na Paraíba, Piauí, Bahia, Alagoas e Ceará. Foram nove dias de competição – a previsão eram dez, mas o último dia foi cancelado por causa da chuva.

O time de Cunha foi formado por dois competidores da Bahia e dois veículos UTVs da marca canadense Can-Am, modelo Maverick. É uma espécie de buggy gaiola/chassi, com tração 4×4, motor turbo, de 195 hp, associado a um câmbio CVT.

“Ofereci minha experiência das provas de rali para que a dupla conseguisse completar todo o percurso do Rally dos Sertões (mais de 3 mil km). E essa missão foi cumprida. Mesmo não chegando entre os primeiros, foi uma grande vitória terminar a prova.”

Equipe Pro Rally/ Corinthians, chefiada por Roberto Cunha (à direita, de boné amarelo), na linha de chegada do Rally dos Sertões 2021. (Crédito: Fotop/Divulgação)

Ele relata que a disputa do Rally dos Sertões é muito difícil e que nem todos os veículos completam a prova. Isso porque a prova passa por locais com alta temperatura, no meio do sertão, e também por outros com baixa temperatura, como rios e lamaçais.

“O motor acaba sofrendo um choque térmico muito grande, com os componentes sendo bastante exigidos”, relata Cunha.

Acompanhe no blog da MILITEC as notícias do mundo da velocidade, como Stock Car, Fórmula Truck, Fórmula 1 e motovelocidade.  

Entenda o MILITEC 1

MILITEC 1 é o primeiro e melhor condicionador de metais, que protege o seu equipamento de verdade, porque é o único com a exclusiva tecnologia Dry Impregnated Lubrication. MILITEC 1 simplesmente usa o lubrificante como um meio para chegar às superfícies metálicas em atrito e aos pontos críticos de calor dentro do equipamento. Chegando a esses locais, MILITEC 1 sai completamente do lubrificante, e as moléculas de MILITEC 1 fixam-se na superfície metálica (adsorção*). Isso ocorre entre 38 oC e 66 oC, dependendo das condições de atrito e carga. O efeito dessa reação enrijece a superfície metálica (não a endurece), tornando-a aproximadamente 17 vezes mais resistente quando a reação se completa. Além do aumento da resistência metálica, MILITEC 1 reduz drasticamente o atrito, melhorando o aproveitamento de energia, resultando em aumento da potência ou diminuição do consumo, além de reduzir as emissões de gases poluentes.

*Adsorção é a fixação de molécula de uma substância na superfície de outra.

1 Comentário

  1. Sebastião Arcelino Ferreira disse:

    Uso no diferencial, motor e caixa da minha S10 flex 2.4 2010. .. à mais de 10anos..nota 1000 !!!!

    1

Deixe o seu comentário!